International Science Index


10011941

The Pedagogical Integration of Digital Technologies in Initial Teacher Training

Abstract:

The use of Digital Technologies in teaching and learning processes is currently a reality, namely in initial teacher training. This study aims at knowing the digital reality of students in initial teacher training in order to improve training in the educational use of ICT and to promote digital technology integration strategies in an educational context. It is part of the IFITIC Project "Innovate with ICT in Initial Teacher Training to Promote Methodological Renewal in Pre-school Education and in the 1st and 2nd Basic Education Cycle" which involves the School of Education, Polytechnic of Porto and Institute of Education, University of Minho. The Project aims at rethinking educational practice with ICT in the initial training of future teachers in order to promote methodological innovation in Pre-school Education and in the 1st and 2nd Cycles of Basic Education. A qualitative methodology was used, in which a questionnaire survey was applied to teachers in initial training. For data analysis, the techniques of content analysis with the support of NVivo software were used. The results point to the following aspects: a) future teachers recognize that they have more technical knowledge about ICT than pedagogical knowledge. This result makes sense if we consider the objective of Basic Education, so that the gaps can be filled in the Master's Course by students who wish to follow the teaching; b) the respondents are aware that the integration of digital resources contributes positively to students' learning and to the life of children and young people, which also promotes preparation in life; c) to be a teacher in the digital age there is a need for the development of digital literacy, lifelong learning and the adoption of new ways of teaching how to learn. Thus, this study aims to contribute to a reflection on the teaching profession in the digital age.

References:
[1] M. Almeida & J. Valente, “Tecnologias e currículo: trajetórias convergente ou divergentes?”, São Paulo: Paulus, 2011.
[2] L. Bardin, “Análise de conteúdo”, Lisboa: Editora Edições 70, 1977.
[3] F. Braga, “Formação de professores e identidade profissional”, Coimbra: Quarteto Editora, 2001.
[4] E. Cardoso, “Problemas e desafios na formação inicial de professores em Angola: um estudo nos ISCED da Região Académica II” Tese de Doutoramento, Universidade do Minho, Portugal, 2012.
[5] A. J. Carneiro, “Web 2.0 e trabalho colaborativo como estratégia de formação de professores”, Dissertação de Mestrado em Educação na área de especialização em Educação e Tecnologias Digitais, 2014. http://hdl.handle.net/10451/16038
[6] A. F. Costa, “Um breve olhar sobre a relação entre as tecnologias digitais e o currículo no início do Séc. XXI” in Actas da VI Conferência Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho, 2009, pp. 293-307.
[7] M. Esteves, “Análise de conteúdo” in Fazer investigação: contributos para a elaboração de dissertações e teses Porto: Porto Editora, 2006, pp. 105-126.
[8] M. A. Flores, “A formação de professores numa encruzilhada: convergências, divergências e desafios a considerar” in III Encontro Internacional de Formação na Docência (INCTE) Bragança: Instituto Politécnico de Bragança, 2018, pp. 11-29. http://hdl.handle.net/10198/17381
[9] P. Quadros-Flores & A. Ramos, “Práticas com TIC potenciadoras de mudança”, in 1.º Encontro Internacional de Formação na Docência (INCTE), Bragança: Instituto Politécnico de Bragança, 2016, pp. 195-203. http://hdl.handle.net/10198/11435
[10] M.A. Flores, P. Santos, S. Fernandes & D. Pereira, “Pre-service teachers’ views of their training: key issues to sustain quality teacher education”, Journal of Teacher Education for Sustainability, vol. 16, no. 2, pp. 39-53, Dec. 2014.
[11] P. Flores, J. Escola & A. Peres, “O retrato da integração das TIC no 1º Ciclo: que perspetivas?”, in VII Conferência Internacional de TIC na educação – Challenges, Braga, Universidade do Minho, 2011, pp. 401-410.
[12] M. A. Flores, “A indução no ensino: desafios e constrangimentos”, Lisboa: Ministério da Educação, 2000.
[13] V. Graça, P. Quadros-Flores & A. Ramos, “Renovação metodológica no ensino primário: o olhar de um estudante estagiário”, Revista Sensos-E, vol. 6, no. 2, pp. 124-133, Sept. 2019. https://doi.org/10.34630/sensos-e.v6i2.3495
[14] D. Jonassen, “Computers as mindtools for schools: engaging critical thinking”, Upper Saddle River, N.J.: Pearson Education, 2000.
[15] D. Jonassen, “Computers in the classroom: mindtools for critical thinking”, Englewood Cliffs, N.J.: Merrill, 1996.
[16] P. Levy, “Cibercultura”, São Paulo: Editora 34, 1999.
[17] E. Litwin, “La tecnología educativa en el debate didáctico contemporâneo” in Tecnologías educativas en tiempos de internet. Buenos Aires: Amorrortu Editores, 2009.
[18] J. Moran, “Mudando a educação com metodologias ativas” Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, vol. 2, pp. 15-33, 2015.
[19] J. Moran, M. Massetto & M. Behrens, “Novas tecnologias e mediações pedagógicas”, Campinas, SP. Papirus, 2012.
[20] A. Nóvoa, “Os Professores e a sua Formação num Tempo de Metamorfose da Escola”, Educação & Realidade, vol. 44, no. 3, pp. e84910-1 - e84910-15, Apr. 2019.
[21] A. Nóvoa, “Entrevista com o prof. Antonio Nóvoa”, Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, vol. 1, no. 1, pp. 416-418, May, 2013. https://doi.org/10.34024/olhares.2013.v1.141
[22] A. Nóvoa, “Profissão: docente”, Entrevista na Revista Educação, Sep. 2011. Disponível em https://revistaeducacao.com.br/2011/09/10/profissao-docente/
[23] S. Papert, “A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática”, Porto Alegre, Brasil: Artes Médicas, 1994.
[24] J. P. Ponte, “As TIC no início da escolaridade: Perspectivas para a formação inicial de professores” in A formação para a integração das TIC na educação pré-escolar e no 1º ciclo do ensino básico. (Cadernos de Formação de Professores) vol. 4., Porto: Porto Editora, 2002, 19-26.
[25] B. Silva et al., “Aplicação e uso de tecnologias digitais pelos professores do ensino superior no Brasil e Portugal”, Revista Educação, Formação & Tecnologias, vol. 7, no. 1, pp. 3-18, june. 2014.
[26] P. Quadros-Flores, P. A identidade profissional docente e as TIC: Estudo de Boas Práticas na região do Porto: Berlim: Novas Edições Académicas, 2006.
[27] A. Hargreaves. Mudança educacional inclusiva e exclusiva: respostas emocionais de professores e implicações para a liderança. Liderança Escolar e Gestão, vol.24, no.3 pp. 287-309, jan. 2004. https://doi.org/10.1080/1363243042000266936
[28] R. Sampieri, C. Collado & Baptista, P. 2014. Metodología de la Investigación. 6.º Ed. México: McGRAW-HILL / Interamericana Editores, S.A. DE C.V. ISBN: 978-1-4562-2396-0
[29] R. Ghiglione & B. Matalon (2001). O Inquérito: Teoria e Prática. Oeiras: Celta Editora.